Justiça quebra sigilo de escutas telefônicas para suspeitos de fraudes no futebol da PB

A juíza Andréa Galdino, da 4ª Vara Criminal de João Pessoa, decidiu que os investigados da Operação Cartola, que investiga um suposto esquema de manipulação de resultados no futebol paraibano, podem ter acesso ao conteúdo das interceptações telefônicas realizadas pela Polícia Civil. Conforme a decisão, além dos investigados, partes interessadas no processo investigativo também podem ter acesso às interceptações.

Ainda segundo a decisão da magistrada, está encerrada a investigação denominada ‘Operação Cartola’. De acordo com a Polícia Civil, o último relatório da investigação está sendo finalizado e pode ser divulgado ainda nesta semana.

Na prática, com a decisão judicial , a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) também podem acessar o que foi colhido pela investigação e, eventualmente, usar o teor para abrir processos disciplinares e jurídicos no âmbito esportivo.

Já processos na área criminal só serão abertos após a entrega do relatório policial e uma consequente denúncia do Ministério Público.

O diretor executivo da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Eduardo Araújo, que também é advogado, disse que tomou conhecimento da decisão, tentou ter acesso ao conteúdo ainda na noite desta terça-feira, mas não conseguiu. Ele garantiu que nesta quarta-feira vai atrás novamente das escutas telefônicas juntadas aos autos da investigação.

 

Fonte: Vale do Piancó Notícias